Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.544 outros assinantes

Curso para noivos. Semana 6: Relacionamento com a Família 

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Semana 6: Relacionamento com a Família 

Texto Bíblico Base: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” – Gênesis 2:24

Introdução

O relacionamento com a família de origem é um aspecto fundamental da vida de cada indivíduo. A Bíblia nos ensina sobre a importância de deixar pai e mãe para unir-se ao cônjuge e formar uma nova família. Neste estudo, exploraremos como lidar com a família de origem, a relevância da construção de uma nova família e a importância de estabelecer limites saudáveis para manter relacionamentos familiares harmoniosos.

Seção 1: Lidando com a Família de Origem.  

Ao construirmos novas famílias, precisamos lidar com o relacionamento com nossos pais e irmãos – a família de origem. Isso pode trazer desafios complexos. A Bíblia enfatiza a importância de honrar pai e mãe, um mandamento que se aplica mesmo após o casamento. Precisamos honrar e cuidar de nossos pais, especialmente quando envelhecem.

No entanto, com o casamento vem novas responsabilidades e prioridades. O vínculo conjugal se torna o relacionamento mais importante, requerendo maior dedicação de tempo e recursos. É preciso encontrar equilíbrio entre honrar os pais e investir na relação com o cônjuge.

Muitas vezes surgem pressões e expectativas da família de origem que podem abalar a relação conjugal. Pais podem se intrometer, criticar o cônjuge ou querer controlar decisões. Filhos adultos precisam estabelecer limites claros e saudáveis, honrando os pais mas não permitindo interferência excessiva.

Devemos cuidar da comunicação, expressando respeito e afeto, mas também definindo expectativas realistas. Se há feridas do passado, o perdão e a cura emocional são essenciais. O casamento envolve deixar a família de origem e se unir ao cônjuge, sem rupturas desnecessárias. Com sabedoria e graça, podemos honrar nossas raízes ao mesmo tempo em que construímos um novo lar.

Seção 2: Construindo uma Nova Família

Ao nos casarmos, passamos a ter a responsabilidade de construir e cultivar uma nova família. Isso requer dedicação e esforço intencional por parte de ambos os cônjuges.

A base de um casamento saudável é o amor, respeito e comunicação entre os parceiros e o temor a Deus. O amor envolve aceitação incondicional, perdão, paciência e compromisso. O respeito significa valorizar o cônjuge, suas opiniões e necessidades. A comunicação aberta, honesta e gentil é essencial.

Outro aspecto importante é estabelecer objetivos, sonhos e valores compartilhados, que servirão como alicerce para a nova família. Isso envolve discussões profundas e compromissos mútuos.

Em decisões e conflitos, o cônjuge deve ser prioridade. Consultar a família de origem é secundário. Cônjuges precisam defender um ao outro, não permitindo críticas ou interferências externas. Resolver desentendimentos com diálogo amoroso fortalece a união.

Construir uma família sólida requer intenção e esforço contínuos. Mas os investimentos em amor, comunicação e compromisso conjunto trarão ricas recompensas, permitindo que o casal cresça e amadureça junto por toda a vida.

Seção 3: Estabelecendo Limites Saudáveis 

“Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas nem tudo edifica.” (1 Coríntios 10:23)

Ao construirmos uma nova família, é importante definir limites claros quanto à interferência dos pais e outros familiares. Devemos identificar áreas delicadas que requerem limites, como finanças, moradia, criação dos filhos, decisões do casal. Limites claros ajudam a evitar influências prejudiciais, permitindo que o casal tenha autonomia.

A comunicação respeitosa, firme e amorosa é essencial na definição de limites. Explicar de forma positiva quais são as expectativas ajuda os familiares a entenderem. Falar com sabedoria e graça minimiza resistências.

Pode haver conflitos quando familiares não aceitam os limites impostos. Nesses casos, reiterar com paciência os limites já estabelecidos é importante. Evitar discussões acaloradas e responder com mansidão. O casal precisa estar unido nesta questão.

Aqui estão alguns exemplos práticos de limites saudáveis na relação com a família de origem:

  • Finanças: definir que decisões financeiras são tomadas somente pelo casal, sem interferência dos pais. Não compartilhar informações sobre renda, dívidas ou poupança.
  • Moradia: não aceitar sugestões não solicitadas sobre onde morar ou como decorar/organizar a casa. Deixar claro que o lar pertence ao casal.
  • Filhos: estabelecer regras e valores próprios para a educação dos filhos. Não permitir que outros critiquem ou questionem a criação que o casal decidiu dar.
  • Religião: se o casal mudou de religião, não permitir pressão familiar para voltar atrás. Respeitar as novas convicções do casal.
  • Lazer: definir tempo reservado somente para o casal, sem sempre incluir a família extensa. Equilibrar os compromissos.
  • Privacidade: não compartilhar detalhes íntimos do relacionamento conjugal. Manter a privacidade do casal.
  • Conflitos: discutir e resolver desentendimentos entre o casal primeiro, sem intervenção externa.
  • Decisões importantes: consultar o cônjuge em primeiro lugar, e não a família de origem. Tomar decisões em união.

O princípio geral é preservar a individualidade e intimidade do novo casal, sem permitir invasões excessivas na relação.

Conclusão

À luz das Escrituras e das orientações discutidas, fica evidente que o relacionamento com a família de origem é valioso, mas também deve ser gerenciado de maneira saudável. Ao construir uma nova família, é essencial que o cônjuge seja a prioridade, mantendo amor, respeito e comunicação. Estabelecer limites saudáveis é crucial para manter a harmonia entre as famílias de origem e a nova família. O ensinamento bíblico sobre deixar pai e mãe e unir-se ao cônjuge continua a ser um princípio relevante para a construção de relacionamentos familiares sólidos e duradouros.

👉Gostou do nosso site? Ajude-nos a mantê-lo e melhorá-lo ainda mais!

👉Abençoe-nos com uma oferta via PIX: CPF 02385701421

👉Seja um parceiro desta obra e ajude a espalhar o conhecimento e a palavra de Deus. 

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos dará; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

SOBRE O AUTOR:
Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta