Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.544 outros assinantes

Sermão: A colheita é grande e os trabalhadores são poucos: É tempo de despertar!

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Texto bíblico base: Lucas 10:2-11 (NVT)

1 Depois disso, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou adiante, dois a dois, às cidades e aos lugares que ele planejava visitar.

2 Estas foram suas instruções: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Orem ao Senhor da colheita; peçam que ele envie mais trabalhadores para seus campos.

3 Agora vão e lembrem-se de que eu os envio como cordeiros no meio de lobos.

4 Não levem dinheiro algum, nem bolsa de viagem, nem um par de sandálias extras. E não se detenham para cumprimentar ninguém pelo caminho.

5 “Quando entrarem numa casa, digam primeiro: ‘Que a paz de Deus esteja nesta casa’.

6 Se os que vivem ali forem gente de paz, a bênção permanecerá; se não forem, a bênção voltará a vocês.

7 Permaneçam naquela casa e comam e bebam o que lhes derem, pois quem trabalha merece seu salário. Não fiquem mudando de casa em casa.

8 “Quando entrarem numa cidade e ela os receber bem, comam o que lhes oferecerem.

9 Curem os enfermos e digam-lhes: ‘Agora o reino de Deus chegou até vocês’.

10 Mas, se uma cidade se recusar a recebê-los, saiam pelas ruas e digam:

11 ‘Limpamos de nossos pés até o pó desta cidade em sinal de reprovação. E saibam disto: o reino de Deus chegou!’.

Introdução:

Você já se perguntou qual é o seu papel na grande colheita espiritual do mundo? Imagine-se diante de um vasto campo dourado, repleto de espigas maduras balançando suavemente ao vento. O sol brilha intensamente, e o ar está carregado com a promessa de uma colheita abundante. Mas algo está faltando nesta cena – onde estão os trabalhadores?

Esta imagem poderosa, apresentada por Jesus em Lucas 10, ressoa com uma urgência ainda maior em nossos dias. Vivemos em um mundo faminto por esperança, amor e propósito. As estatísticas são alarmantes: estima-se que cerca de 3,2 bilhões de pessoas no mundo ainda não foram alcançadas pelo evangelho. 

A colheita espiritual está madura, mas os trabalhadores são poucos.O Apóstolo Paulo é um dos exemplos mais marcantes na história do cristianismo de alguém que deixou tudo para seguir o chamado de Cristo

Nascido como Saulo de Tarso, ele era um fariseu zeloso e um perseguidor ferrenho dos primeiros cristãos. No entanto, após um encontro sobrenatural com Jesus na estrada para Damasco, sua vida foi completamente transformada.

Paulo abandonou sua posição de prestígio no judaísmo e seus privilégios como cidadão romano para se tornar um seguidor de Cristo. Ele abraçou uma vida de sacrifício e dedicação total à propagação do evangelho. Suas viagens missionárias o levaram por grande parte do mundo conhecido da época, enfrentando inúmeros perigos e dificuldades.

Ao longo de seu ministério, Paulo enfrentou perseguições constantes. Ele foi apedrejado, açoitado, preso e até mesmo deixado como morto por causa de sua fé. Em suas próprias palavras, ele suportou “perigos de rios, perigos de assaltantes, perigos dos meus compatriotas, perigos dos gentios, perigos na cidade, perigos no deserto, perigos no mar, e perigos entre falsos irmãos” (2 Coríntios 11:26).

Apesar dessas adversidades, Paulo permaneceu inabalável em sua missão. Ele fundou igrejas, escreveu epístolas que se tornaram parte fundamental do Novo Testamento, e continuou a pregar o evangelho mesmo quando estava preso. Sua dedicação era tal que ele podia dizer: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21).

O exemplo de Paulo nos desafia até hoje. Ele demonstra o que significa verdadeiramente deixar tudo por Cristo, enfrentando qualquer obstáculo para cumprir o chamado divino. Sua vida nos lembra que o evangelho vale qualquer sacrifício e que, com a força de Deus, podemos superar qualquer adversidade para cumprir nossa missão.

Hoje, vamos explorar juntos como podemos despertar para esta grande missão. Como podemos nos tornar trabalhadores ativos na seara do Senhor? Que papel cada um de nós pode desempenhar nesta colheita espiritual? Prepare seu coração para ser desafiado e inspirado a fazer a diferença no Reino de Deus.

1.O Campo está Maduro – Reconhecendo a Urgência (Lucas 10:2a)

“A colheita é grande”, disse Jesus, pintando uma imagem vívida de um campo maduro, pronto para ser colhido. 

Esta metáfora poderosa nos convida a olhar ao nosso redor e reconhecer: a urgência do momento presente e que a vinda de Jesus está próxima. Em nossa sociedade contemporânea, vemos pessoas lutando contra depressão, ansiedade e vícios; famílias se desintegrando e jovens sem direção. Cada alma perdida é como um grão maduro, esperando para ser colhido para o Reino de Deus.

A urgência deste chamado ecoa através dos tempos, ressoando com as palavras do profeta Joel: “Lançai a foice, porque está madura a seara” (Joel 3:13). Assim como o agricultor não pode adiar a colheita quando o campo está maduro, não podemos postergar nossa resposta ao chamado divino. O tempo é agora, e a necessidade é premente.

Vivemos em uma era de conectividade sem precedentes, onde a tecnologia nos permite alcançar os confins da terra com a mensagem do evangelho. As redes sociais, os aplicativos de mensagens e as plataformas de vídeo se tornaram campos de colheita digital, oferecendo oportunidades únicas para semear e colher. 

Como observou o renomado evangelista Billy Graham: “Deus tem dado à nossa geração mais meios de comunicação do que qualquer outra na história. Vamos usá-los para proclamar o evangelho de Jesus Cristo.” Esta realidade nos impõe uma responsabilidade ainda maior.  Não podemos nos dar ao luxo de adiar nossa resposta ao chamado de Deus. Cada dia que passa é uma oportunidade perdida para alcançar alguém com a mensagem transformadora do amor de Cristo. O campo está maduro, e nós somos os trabalhadores chamados para esta colheita urgente.

Uma aplicação prática deste princípio é avaliarmos nossas prioridades diárias. Estamos dedicando tempo e energia para compartilhar o evangelho em nossas esferas de influência? Seja no trabalho, na escola, na vizinhança ou nas redes sociais, cada interação é uma oportunidade para semear ou colher. Reconhecer a urgência do campo maduro nos impulsiona a agir com propósito e intencionalidade em cada encontro, sabendo que o tempo é curto e a colheita é grande.

2.Poucos Trabalhadores – O Desafio da Escassez (Lucas 10:2b)

“Os trabalhadores são poucos.” Essas palavras de Jesus em Lucas 10:2b não são apenas uma observação, mas um grito de guerra para nós, Seus seguidores. Olhem ao redor, amados! Os campos estão maduros, transbordando de almas sedentas pelo amor de Deus. Mas onde estão os trabalhadores?

É hora de nos perguntarmos: estamos realmente vivendo à altura do chamado de Cristo? Ou nos contentamos em ser meros espectadores, aplaudindo da arquibancada enquanto outros fazem o trabalho árduo? O apóstolo Paulo nos desafia: “Sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor” (1 Coríntios 15:58). Não há lugar para passividade no Reino de Deus!

Imaginem um time de futebol onde apenas um jogador está em campo, enquanto os outros dez ficam no banco. Absurdo, não é? Pois é exatamente assim que a igreja parece quando a maioria de nós se recusa a entrar em campo. Não podemos mais nos dar ao luxo de sermos cristãos de arquibancada!

Billy Graham disse sabiamente: “O maior desperdício no mundo é a diferença entre o que somos e o que poderíamos nos tornar.” Queridos, é hora de despertar o potencial adormecido em cada um de nós! Deus nos equipou com dons e talentos únicos. Não os enterremos como o servo infiel da parábola (Mateus 25:14-30), mas os multipliquemos para a glória de Deus!

O desafio diante de nós não é apenas numérico, mas de qualidade. Precisamos de corações verdadeiramente comprometidos, dispostos a se sacrificar pelo avanço do Reino. É hora de uma autorreflexão honesta: “Sou um espectador ou um participante ativo no Reino de Deus?”

Se você se identifica como espectador, ouça este chamado com amor: é hora de mudar! Dê um passo à frente hoje mesmo. Identifique suas habilidades, encontre um lugar para servir em sua comunidade de fé. Seja voluntário, mentoreie alguém, esteja disponível para ajudar onde for necessário.

Lembrem-se, amados, cada ato de serviço, por menor que pareça, é precioso aos olhos de Deus. Sua contribuição é vital para a grande colheita do Reino. Não subestime o impacto que você pode ter. O tempo é agora, o chamado é urgente. Vamos responder com amor, compromisso e ação. Juntos, podemos fazer a diferença que o mundo tanto precisa!

3.Clamando ao Senhor da Seara – (Lucas 10:2c)

“Rogai, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores.” Estas palavras de Jesus em Lucas 10:2c não são uma mera sugestão, mas um imperativo divino que ressoa com urgência em nossos dias. O Mestre da seara nos convoca a uma ação fundamental e insubstituível: a oração. Não se trata de uma opção, mas de uma necessidade vital para o avanço do Reino de Deus.

Esta passagem nos revela uma profunda verdade teológica: Deus, em Sua soberania, é quem desperta e chama os trabalhadores para Sua seara. O chamado sempre será um ato soberano do Senhor. No entanto, em Sua infinita sabedoria, Ele escolheu envolver Seus filhos neste processo através da oração. Quando nos ajoelhamos diante do trono da graça, reconhecemos nossa total dependência de Deus e nos colocamos à disposição para sermos usados por Ele.

A importância desta oração é reforçada em outras passagens das Escrituras. Em Atos 13:2-3, vemos a igreja de Antioquia em oração e jejum quando o Espírito Santo separa Barnabé e Saulo para a obra missionária. Este exemplo nos mostra como a oração é o canal pelo qual Deus comunica Sua vontade e mobiliza Seu povo para a ação.

Podemos comparar esta dinâmica espiritual a um sistema de irrigação. A oração é como a bomba que impulsiona a água (a graça e o poder de Deus) para os campos sedentos (o mundo necessitado do Evangelho). Sem a oração, os canais permanecem secos e a colheita fica comprometida. Estatísticas mostram que as igrejas que priorizam a oração intercessória têm um envolvimento missionário significativamente maior do que aquelas que não o fazem.

Timothy Keller  diz que “….a oração é o meio pelo qual participamos da obra soberana de Deus no mundo.” Esta afirmação ressalta o poder transformador da oração não apenas no mundo ao nosso redor, mas também em nossos próprios corações. Quando oramos fervorosamente pela colheita, Deus não apenas envia trabalhadores, mas também nos prepara para sermos parte da resposta à nossa própria oração.

A aplicação prática deste princípio em nossas vidas começa com um compromisso renovado com a oração intercessória. Oremos pelos missionários em campo, pelos líderes de sua igreja local e por aqueles que ainda não conhecem a Cristo. Mas vá além: peça a Deus que revele como você mesmo pode ser um trabalhador em Sua seara. Lembre-se, a oração que move o coração de Deus também transforma o nosso, preparando-nos para a ação.

4.Ação Corajosa – Respondendo ao Chamado (Lucas 10:3-11)

Jesus não apenas ordena oração, mas ação. Em Lucas 10:3, Ele envia os discípulos como “cordeiros entre lobos”, uma imagem poderosa que ilustra a vulnerabilidade e o desafio que enfrentariam. Os cordeiros, símbolos de fragilidade, são enviados a um ambiente hostil repleto de lobos. No entanto, essa aparente fragilidade nos lembra da proteção soberana do Senhor sobre Seus servos.

O chamado à evangelização exige uma coragem que transcende nossa zona de conforto. É como um mergulhador que se prepara para explorar as profundezas do oceano – ele sabe dos perigos, mas também da beleza e das descobertas que o aguardam. Da mesma forma, compartilhar o evangelho pode ser desafiador, mas as recompensas são eternas.

O renomado evangelista Billy Graham uma vez disse: “A coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista esse medo.” Essas palavras capturam perfeitamente a essência do chamado de Jesus aos Seus discípulos – e a nós.

Nas instruções subsequentes (Lucas 10:4-11), Jesus fornece orientações práticas para a missão. Ele enfatiza a urgência da tarefa, a dependência de Deus para provisão e a importância de focar na mensagem do Reino. Essas diretrizes não são apenas para os discípulos daquela época, mas servem como um modelo para nossa própria abordagem à evangelização hoje. Vejamos a diretrizes dadas por Jesus:

  1. Urgência da tarefa (Lucas 10:4)
    Orientação: Não levar bolsa, alforje ou sandálias extras; não saudar ninguém pelo caminho
    Aplicação: Priorizar a evangelização, evitando distrações e mantendo o foco na urgência da missão
  2. Dependência de Deus para provisão (Lucas 10:4,7-8)
    Orientação: Não levar recursos próprios; permanecer na mesma casa, comendo e bebendo o que oferecerem
    Aplicação: Confiar em Deus para provisão no trabalho missionário; adaptar-se à cultura local sem comprometer a mensagem
  3. Foco na mensagem do Reino (Lucas 10:5,9)
    Orientação: Proclamar “Paz seja nesta casa”; curar os enfermos; anunciar “É chegado a vós o reino de Deus”
    Aplicação: Manter o foco na mensagem central do evangelho e do Reino de Deus; demonstrar o amor de Deus através de ações práticas
  4. Lidar com a rejeição (Lucas 10:10-11)
    Orientação: Sacudir o pó dos pés ao sair de cidades que não os recebem; continuar anunciando que o reino de Deus está próximo
    Aplicação: Estar preparado para enfrentar rejeição, mas persistir na proclamação da mensagem
  5. Trabalhar em equipe (Lucas 10:1)
    Orientação: Ir de dois em dois
    Aplicação: Trabalhar em equipe na obra missionária, apoiando-se mutuamente
  6. Confiar na proteção divina (Lucas 10:3)
    Orientação: Ir como “cordeiros no meio de lobos”
    Aplicação: Confiar na proteção de Deus ao enfrentar desafios e perigos na missão

Com base nas orientações dadas por Jesus e nas informações fornecidas, podemos extrair uma grande lição central: O amor a Deus e ao próximo deve ser o princípio orientador de todas as nossas ações.

A aplicação prática deste princípio em nossas vidas começa com um passo de fé. Podemos começar identificando nosso próprio “campo missionário” – seja no trabalho, na escola ou em nossa vizinhança. Dar o primeiro passo, mesmo que pequeno, em direção a compartilhar nossa fé pode ser o catalisador para uma jornada de coragem e impacto eterno. Lembre-se, cada ato de obediência corajosa ao chamado de Cristo não apenas impacta os outros, mas também nos transforma, aprofundando nossa fé e confiança no Senhor que nos envia.

Conclusão:

A colheita está diante de nós, vasta e urgente. O chamado de Jesus ecoa através dos séculos e ressoa em nossos corações hoje. Não podemos mais permanecer como meros espectadores passivos diante de um mundo faminto por esperança e propósito. É hora de nos levantarmos e agirmos!

Imagine por um momento: se cada um de nós aqui presente se comprometesse a alcançar apenas uma pessoa para Cristo no próximo mês, quantas vidas seriam impactadas? Se multiplicarmos isso por um ano, o potencial de transformação é incrível! As estatísticas mostram que quando os cristãos se engajam ativamente na evangelização, o crescimento da igreja se acelera exponencialmente.

Assim como um agricultor não pode ignorar um campo maduro pronto para a colheita, não podemos fechar os olhos para a urgência do chamado de Cristo. Cada dia que passa é uma oportunidade perdida, uma alma que poderia ter sido alcançada.

O que acontecerá se respondermos a este chamado com coragem e dedicação? Veremos famílias restauradas, vidas transformadas, comunidades impactadas pelo amor de Deus. O Reino de Deus avançará de maneira poderosa através de nossas mãos e pés dispostos a servir.

Que cada um de nós saia daqui hoje com um compromisso renovado de compartilhar o amor de Cristo, de ser Suas mãos e pés neste mundo necessitado. Que possamos dizer como Isaías: “Eis-me aqui, envia-me a mim!” A colheita está pronta. Os campos estão maduros. É hora de agir. Vamos juntos impactar este mundo para a glória de Deus!

👉Gostou do nosso site? Ajude-nos a mantê-lo e melhorá-lo ainda mais!

👉Abençoe-nos com uma oferta via PIX: CPF 02385701421

👉Seja um parceiro desta obra e ajude a espalhar o conhecimento e a palavra de Deus. 

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos dará; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

SOBRE O AUTOR:
Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta