Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.544 outros assinantes

Sermão: Sinais do esfriamento espiritual

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Sinais de esfriamento espiritual

Marcos 4: 16-17: “As semeadas em solo pedregoso são os que ouvem a palavra e a recebem com alegria. 17 Todavia, não deitam raízes, antes duram pouco; depois, aparecem dificuldades ou perseguições por causa da palavra, e logo essa pessoa se escandaliza.”

“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” (Mateus 24:12).

Introdução

O esfriamento espiritual pode ser traduzido como a perda da paixão pelo Evangelho, perda do primeiro amor e distanciamento de nosso Senhor Jesus Cristo. Infelizmente, qualquer cristão está sujeito a esfriar-se na fé, mas, assim como um organismo vivo deve manter a sua temperatura normal para viver, o crente deve estar sempre fervoroso na fé em Cristo.

A frieza espiritual é, sem dúvida, uma das piores coisas na vida do crente, pois perde-se totalmente a vontade de orar, ler a Bíblia, ir à igreja, cantar louvores, glorificar a Jesus Cristo… sem contar que outras coisas vão entrando sorrateiramente e ocupando o lugar de Deus, com a famosa expressão de que “não tem nada a ver”.

Na verdade, ninguém fica frio na fé da noite para o dia; é um processo longo que aponta para um desleixo diário, que pode ser visto no abandono gradativo da Bíblia e da oração.

Fazendo uma analogia com o gelo, ele demora um tempo para mudar seu estado da água para o gelo. E assim também acontece com nós, que somos cristãos recém-convertidos ou que já temos um tempo de caminhada.

Crentes frios na fé encaram o pecado como algo natural e não experimentam mais o arrependimento, pois não têm mais a disposição de buscar a Deus com lágrimas e nem mesmo choram pelos seus pecados; Na verdade, estão bem mais envolvidos com este mundo e sua glória do que com a presença e a glória de Jesus Cristo, o Senhor.

Há a frieza velada e a frieza revelada, isso é sério e significa que há crentes que estão frios por dentro, mas mantêm o véu por fora, velando, escondendo e disfarçando seu triste estado interior. Em muitos casos, estes são os religiosos que zelam meramente pela religiosidade, mas não têm vida com Deus. Há, por outro lado, aqueles que se tornaram declaradamente frios e incrédulos, uma vez que passaram a relativizar publicamente a Palavra de Deus, o Evangelho e a igreja.

A boa notícia é que há remédio para curar e evitar que não caiamos na frieza espiritual e, para isso, não há outra receita a não ser recomeçar, convergir para a direção oposta em que se está indo, voltar ao primeiro amor, levantar-se do pó e da cinza e olhar para Jesus Cristo, o único que pode revitalizar e reanimar o servo abatido. Em outras palavras, é necessário um esforço, uma determinação nossa, acompanhada com a ação do Espírito Santo para nos levantarmos e partirmos em direção a Jesus Cristo, à sua Palavra e à oração.

A Palavra de Deus nos ordena: “Nunca lhes falte o zelo; sede fervorosos de espírito, servido ao Senhor” (Rm 12.11).

VEJAMOS ENTÃO QUAIS SÃO OS SINAIS DO ESFRIAMENTO ESPIRITUAL:

Esfriamento do amor

“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” (Mateus 24:12).

Nesse contexto Jesus colocou o esfriamento do amor em decorrência da multiplicação da iniquidade entre os sinais que caracterizam um período que Ele chamou de “o princípio das dores”. Os sinais citados por Jesus foram: surgimento de falsos profetas e falsos cristos; guerras e rumores de guerras em conflitos internacionais; miséria e fome; catástrofes naturais; ferozes perseguições contra a Igreja; esfriamento do amor por causa da multiplicação da iniquidade; e a expansão mundial da pregação do Evangelho (Mateus 24:4-14).

Jesus disse que após essas coisas o fim virá (Mateus 24:14). Isso significa que esses sinais servem para apontar para a aproximação do fim dos tempos. Isso porque o princípio das dores é o período que se estende desde Cristo até os nossos dias, e precede imediatamente a grande tribulação (Mateus 24:15-28)

Inversamente proporcional à multiplicação da iniquidade está o esfriamento do amor. Então quanto mais iniquidade, menos amor. Alguns comentaristas preferem interpretar essa declaração de que “por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará” como sendo um aviso de algo que aconteceria dentro da Igreja visível. Assim, foco estaria justamente na questão da apostasia e na crise entre a cristandade.

Isso significa que apesar de a iniquidade se multiplicar e o amor de muitos se esfriar, há ainda aqueles que em cuja vida arde o genuíno amor. A chama do amor ao Senhor, ao Evangelho e ao próximo, continua queimando na vida dessas pessoas. Estes não são meros cristãos professos comprometidos

Esfriamento no aprendizado da palavra de Deus

“Como aconteceu nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e os destruiu a todos. […] assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar” (Lucas 17:26-30).

Conhecer a verdade, buscar o conhecimento, é a melhor receita contra os males que temos sentido. Mas não é qualquer conhecimento, é os ensinos VERDADEIROS, os ensinos celestiais, os ensinos de Deus.

Os carros vêm equipados com um tanque de combustível e um motor interno de combustão precisamente acertado para converter a gasolina (ou etanol) em movimento para o carro. Mas, até que o tanque esteja com combustível e seja dada a partida no motor, o carro não passa de um peso morto.

Você já esteve em um carro que ficou sem combustível? Imagine, agora, um grupo de pessoas empurrando um carro em uma subida, transpirando enquanto fazem gemidos com suas bocas, tentando manter o veículo se movimentando. É assim que muitos cristãos vivem hoje.

As vezes temos a sensação que estamos atrás do carro empurrando-o – não apenas o membro de igreja, mas também o pastor, os presbíteros e muitos outros – tentando fazer com que a vida cristã daquela pessoa funcione.

O problema é que empurrar não é o que eles precisam. O que eles precisam é ter combustível no tanque para quando virarem a chave e derem partida no carro, ele seja capaz de se movimentar pelo próprio poder gerado pela combustão do combustível.

Entenda algo muito importante. O combustível é a palavra de Deus. Quando o cristão começa a entender o que significa ser um cristão pela palavra de Deus, isso faz toda a diferença.

Pregação confrontadora, porém corações distantes

Ezequiel 33 diz na versão da Bíblia King James:  …31 O meu povo vem a ti, como costuma fazer, e se assenta para ouvir a tua pregação, mas não coloca a Palavra em prática. Com a boca eles chegam a expressar louvor e devoção, mas o coração dessa gente dá mais importância ao lucro, estão ávidos por ganhos injustos. 32 Para este povo o profeta se assemelha a um poeta ou cantor romântico que entoa cânticos de amor com bela voz e toca seu instrumento musical virtuosamente; porquanto eles ouvem as tuas palavras, mas, de fato, não as colocam em prática em suas próprias vidas. 33 Assim, quando tudo isso acontecer – e em verdade breve estará ocorrendo – todo esse povo compreenderá que um verdadeiro profeta de Deus esteve pregando entre eles!”

Ezequiel profetiza sobre os julgamentos do Senhor para Jerusalém e explica por que a fome, a desolação, a guerra e as pestilências vão varrer a terra de Israel. O Senhor ordena a Ezequiel que proclame a iniquidade das nações que cercam Israel e profetize sua destruição.

Nos dias de Ezequiel o povo se assentava para ouvir a pregação, mas não tinha interesse em aplicá-la no dia a dia. O coração das pessoas estava distante de Deus. Suas prioridades não eram buscar a direção de Deus para suas vidas. Seus corações estavam focados no lucro, nos negócios e  no sucesso material. Estavam distantes de Deus.

Muitos ouviam as pregações do profeta. Mas como ouviam? Ouviam como se fossem canções bonitas, mensagens motivacionais, mas não as colocavam no coração ou em prática.

Muitos têm ouvido o evangelho dessa forma. Acham tudo lindo, mas não querem comprometimento.

Cristianismo sem raiz

Marcos 4: 16-17: “As semeadas em solo pedregoso são os que ouvem a palavra e a recebem com alegria. 17 Todavia, não deitam raízes, antes duram pouco; depois, aparecem dificuldades ou perseguições por causa da palavra, e logo essa pessoa se escandaliza.”

O mais importante em uma árvore são suas raízes, as raízes irão determinar a saúde desta árvore e todos os seus anos de vida!

Uma árvore com raízes profundas pode passar por muitas adversidades que isto não irá afetar sua saúde!

Quantas pessoas têm desistido de ser o que Deus sonhou para elas por não conseguirem passar por momentos ruins, pressões e tristezas. Chegou a hora de você ter uma fé inabalável. Uma árvore despreparada não dá frutos. Ela precisa estar preparada!

Quanto mais profundas forem nossas “raízes”, tendo base na Bíblia, mais poderemos resistir às provações, dificuldades e outras secas que surgem em nosso caminho. Árvores maduras e saudáveis ​​têm raízes que viajam em todas as direções em busca de água e nutrientes.

Veja o que diz o Jeremias 17:8 sobre a necessidade de raízes para a saúde de uma árvore: “Ele será como uma árvore plantada junto às boas águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Uma árvore que não se afligirá quando chega o calor, porque as suas folhas estão sempre viçosas; não sofre de ansiedade durante o ano da seca nem deixará de dar seu fruto!”

Mornidão espiritual

Mornidão é o estado que muitos atingiram vivendo neste mundo. Quando entendemos que a carta à igreja de Laodicéia é profética e expressa o último estágio do testemunho cristão na terra, percebemos que muito do que ela diz cai como uma luva para a cristandade atual. O versículo é este:

“Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.” (Ap 3:15-17).

Alguém morno é como um morto, não tem sentimentos nem sensações, apenas se deixa levar. Teve sua mente cauterizada, que é o mesmo que dizer que está anestesiado contra qualquer tipo de paixão na defesa da Verdade. Um casamento morno se acaba porque desaparece a paixão e tudo cai na mornidão. Não estou falando aqui da paixão carnal de cunho sexual, porque a própria idade dá cabo de muitas das sensações do corpo, mas daquela paixão que faz os olhos brilharem só de contemplarem a pessoa amada ou escutarem seu nome. O verdadeiro cristão é assim, apaixonado por Cristo.

Pessoas “mornas” são pessoas sem opinião formada, são com “meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.” (Ef 4:14).

São um alvo perfeito para uma admoestação como a que Elias fez aos filhos de Israel no passado: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu.” (1 Rs 18:21). Por que o povo não respondeu? Porque não tinha uma opinião, viviam na mornidão de agir conforme a direção do vento.

O ecumenismo é o supra sumo da mornidão, porque evita os extremos para agradar a todos. O ecumenismo tenta juntar as religiões de diferentes cores em uma massa só. Se você brincou de massinhas coloridas quando criança sabe que depois de um tempo, de tanto misturar as cores, você termina com uma bola cinza e feia. Essa massa genérica é o a massa ecumênica, pois ela tenta encontrar pontos de acordo com base no mínimo denominador comum.

Mudanças nas prioridades

Mt. 6,24-34: “…buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo”.

Jesus ensina que nossa verdadeira prioridade é o reino. E ele promete que as demais necessidades serão supridas.

Muitos hoje querem as bençãos, mas não há lugar em seus corações para o reino.

Há muitas pessoas que vem a igreja em busca de uma oração na hora da necessidade, no momento da falta de um emprego, nos momentos de enfermidade, mas não há lugar em seus corações para um COMPROMISSO COM O REINO.

Eu repetir: NÃO HÁ LUGAR NOS CORAÇÕES DE MUITOS PARA UM COMPROMISSO COM O REINO.

Há pelo menos 03 atitudes que demonstram se há ou não compromisso com o reino de Deus em nossos corações:

  • Há compromisso com reino, quando temos compromisso com a Igreja e a obra que Deus realiza através dela. Falo de compromisso com os cultos, com as atividades realizadas pela Igreja, com a evangelização.
  • Há compromisso com o reino, quando temos um compromisso com a sua palavra. O compromisso de Jesus com o reino, ficou evidente em sua tentação no deserto, quando disse: “Está escrito…”. Temos visto muitas pessoas querendo agir ou fazer muitas coisas em nome de Deus, mas só temos autoridade de Deus, quando agimos através de um compromisso com sua palavra. Fora disso, surgem inúmeras, heresias e modismos que passam.

Conclusão

Vencer a frieza espiritual é uma questão de decisão e esforço e, com a ajuda do Espírito Santo, você irá melhorando, se aquecendo e voltará a ficar radiante, avivado, motivado e cheio do Espírito Santo. A ação soberana de Deus em nossa vida não anula a nossa responsabilidade de buscá-Lo e prosseguir em conhecê-Lo.

Resumindo, se você decidir andar com o Senhor Jesus Cristo e decidir absolutamente conhecê-Lo cada vez mais todos os dias, você jamais se esfriará na fé, pois Jesus Cristo é a única fonte inesgotável de sabedoria e de conhecimento, a Água da vida, o Pão vivo que desceu do céu, a nossa Luz, o Caminho, a Verdade e a Vida…

Quero concluir, e já falando que nenhum desses passos te levará a sair da frieza espiritual se você apenas ler ou ouvir essa palavra. Precisamos constantemente colocar a mão na massa (buscar o Senhor).

Achegue-se a Deus e Ele se achegará a você. Entregue, todos os dias, os seus caminhos e a sua vida ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará!

👉Gostou do nosso site? Ajude-nos a mantê-lo e melhorá-lo ainda mais!

👉Abençoe-nos com uma oferta via PIX: CPF 02385701421

👉Seja um parceiro desta obra e ajude a espalhar o conhecimento e a palavra de Deus. 

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos dará; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

SOBRE O AUTOR:
Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta