Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.549 outros assinantes

Aula 08 da EBD – Quantos Filhos Devo Ter?

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Texto Base: Gênesis 1:28; Salmo 127:3-5; 1 Timóteo 5:8

Introdução:

Em um mundo onde a taxa de natalidade está em queda e as famílias optam por ter cada vez menos filhos, como cristãos, nos perguntamos: qual a perspectiva bíblica sobre a paternidade e o planejamento familiar? A Bíblia nos oferece princípios e exemplos que nos guiam nessa importante decisão.

Transição: Mergulhemos nas Escrituras para entender a visão divina sobre filhos e como podemos aplicar esses ensinamentos em nossas vidas.

Parte 1: Filhos na Bíblia

Em Gênesis, Deus ordena a Adão e Eva: “Sejam fecundos, multipliquem-se, encham a terra e sujeitem-na” (Gn 1:28). No Salmo 127, os filhos são descritos como “herança do Senhor”, flechas nas mãos de um guerreiro. Já em 1 Timóteo, a paternidade responsável é enfatizada, com a instrução de que “se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente” (1Tm 5:8).

Esses versículos revelam a visão bíblica sobre os filhos: são bênçãos divinas, herança preciosa e responsabilidade sagrada. A Bíblia celebra a fertilidade e a capacidade de ter filhos, mostrando que eles são presentes de Deus e não um fardo. Em Salmos, por exemplo, lemos que “os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos, e os pais são o orgulho de seus filhos” (Pv 17:6).

Assim como flechas nas mãos de um guerreiro, os filhos são instrumentos poderosos para o bem. Eles podem ser moldados e direcionados para cumprir propósitos divinos, impactando o mundo ao seu redor. A analogia das flechas também nos lembra da importância de investir tempo e energia na educação e formação espiritual dos filhos, preparando-os para serem “flechas afiadas” nas mãos de Deus.

O sociólogo inglês Ann Oakley, em seu livro “Sex, Gender and Society”, destaca que a maternidade e a paternidade são papéis sociais importantes, moldados por fatores culturais e religiosos. No contexto bíblico, a paternidade e a maternidade são vistas como bênçãos e responsabilidades divinas, e os filhos são considerados presentes preciosos de Deus.

No entanto, a Bíblia também nos adverte sobre a importância da paternidade responsável. Ter filhos não é apenas uma questão de quantidade, mas de qualidade. Cuidar, educar e prover para os filhos são deveres sagrados dos pais, e negligenciar essas responsabilidades é uma grave falha diante de Deus.

Se você está considerando ter filhos, busque a orientação de Deus em oração. Reflita sobre os princípios bíblicos da paternidade responsável e lembre-se de que os filhos são bênçãos divinas que trazem alegria, desafios e oportunidades de crescimento espiritual. Prepare-se para essa jornada com amor, sabedoria e fé em Deus, que é o autor da vida.

Parte 2: A Sociedade Moderna e o Entendimento sobre Filhos

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1)

Vivemos em uma época em que a sociedade apresenta diversos argumentos para que os casais optem por ter poucos filhos. Entre os mais comuns, estão o alto custo financeiro, o trabalho que uma criança demanda e a crueldade do mundo atual. No entanto, ao analisarmos esses argumentos à luz da fé cristã, percebemos que eles não são tão sólidos quanto parecem.

O sábio Salomão, em Eclesiastes 7:14, nos ensina: “No dia da prosperidade, regozija-te, mas, no dia da adversidade, considera; porque também Deus fez um em oposição ao outro, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele.” Esse versículo nos lembra que tanto os bons quanto os maus momentos fazem parte da vida, e que Deus os permite para que aprendamos a confiar nEle em todas as circunstâncias.

Quando pensamos nos custos financeiros de ter um filho, é importante lembrar que “melhor é o pouco com o temor do Senhor do que um grande tesouro onde há inquietação” (Provérbios 15:16). Além disso, como afirma o teólogo John Piper, “os filhos são uma herança do Senhor, uma recompensa que vem dele. Ter filhos não é uma questão de dinheiro, mas de fé.”

Quanto ao trabalho que uma criança demanda, é verdade que a paternidade e a maternidade exigem dedicação e esforço. No entanto, como nos lembra o apóstolo Paulo em Colossenses 3:23, “tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens”. Cuidar de um filho é uma oportunidade de servir a Deus e de crescer em amor e paciência.

Por fim, embora o mundo possa parecer um lugar cruel, devemos lembrar que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Como cristãos, temos a responsabilidade de criar nossos filhos em um lar onde o amor de Cristo é ensinado e vivido, preparando-os para serem luz em meio às trevas.

Assim, a decisão de ter filhos deve ser tomada com oração e sabedoria, buscando a vontade de Deus para cada família. Que possamos confiar no Senhor em todas as circunstâncias, lembrando que “os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre, o seu galardão” (Salmos 127:3).

Parte 3: Tenham Filhos, mas Tenham Bom Senso

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1)

Ao refletirmos sobre a decisão de ter filhos, é essencial buscarmos a sabedoria e o discernimento que vêm de Deus. O apóstolo Pedro nos exorta a viver a vida do lar com entendimento (1 Pedro 3:7), o que implica em considerar nossas circunstâncias individuais, saúde, recursos e chamado para servir ao Reino de Deus. Cada família é única, e o que pode ser apropriado para uma pode não ser para outra.

Nesse contexto, é importante ressaltar que a Bíblia não proíbe o planejamento familiar responsável. O teólogo John Piper afirma que “o uso de métodos contraceptivos não abortivos pode ser uma opção legítima para casais que desejam espaçar ou limitar o número de filhos, desde que a motivação seja correta e não egoísta”. Contudo, devemos estar atentos para não permitir que o egoísmo ou o medo do futuro guiem nossas decisões, mas sim a confiança em Deus e o desejo de honrá-lo em todas as áreas de nossas vidas.

Além disso, a Bíblia nos lembra da responsabilidade que temos como pais de prover para nossas famílias, tanto física quanto espiritualmente (1 Timóteo 5:8). Isso significa que devemos considerar nossa capacidade de cuidar e educar adequadamente os filhos que Deus nos concede, não apenas em termos financeiros, mas também em termos de tempo, energia e recursos emocionais.

Um exemplo prático dessa abordagem equilibrada pode ser visto na vida de Jim Elliot, missionário que foi martirizado enquanto evangelizava os índios Aucas no Equador. Ele e sua esposa, Elisabeth, decidiram ter apenas uma filha, Valerie, para que pudessem se dedicar integralmente à obra missionária. Essa decisão foi tomada com oração e discernimento, levando em conta o chamado específico que Deus havia colocado em suas vidas.

Portanto, a decisão sobre o tamanho da família deve ser tomada com sabedoria, buscando a direção de Deus e considerando as responsabilidades e os desafios únicos de cada situação. Que possamos, como o salmista, clamar: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio” (Salmos 90:12), aplicando essa sabedoria em todas as áreas de nossas vidas, incluindo a paternidade e a maternidade.

Conclusão:

A decisão de ter filhos é uma das mais importantes que um casal pode tomar. Devemos buscar a orientação de Deus em oração, considerando os princípios bíblicos e nossas circunstâncias individuais. Filhos são bênçãos divinas, e a paternidade é um chamado sagrado que nos permite refletir o amor e o cuidado de Deus em nossas vidas. Que possamos abraçar a paternidade com alegria, responsabilidade e confiança em Deus, que é o autor da vida.

👉Gostou do nosso site? Ajude-nos a mantê-lo e melhorá-lo ainda mais!

👉Abençoe-nos com uma oferta via PIX: CPF 02385701421

👉Seja um parceiro desta obra e ajude a espalhar o conhecimento e a palavra de Deus. 

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos dará; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

SOBRE O AUTOR:
Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta