Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.549 outros assinantes

Aula 09 da EBD: A Infertilidade no Casamento

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Texto Base: Salmo 127

Introdução

Imagine um casal cristão que sonha em construir uma família, mas se depara com o desafio da infertilidade. Como lidar com essa realidade à luz da fé? Nesta lição, vamos refletir sobre como a igreja pode acolher e orientar casais que enfrentam essa situação, buscando sabedoria nas Escrituras.

Transição

Vamos mergulhar nas estatísticas, definições e implicações da infertilidade, sempre sob a perspectiva bíblica, para encontrar direção e consolo.

I – Estatística e Definição

“Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão.” (Salmo 127:3)

A infertilidade é uma condição que aflige um número significativo de casais em todo o mundo. De acordo com dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% dos casais enfrentam dificuldades para conceber. Isso significa que, a cada sete casais, aproximadamente um vivencia o desafio da infertilidade.

Mas o que exatamente caracteriza a infertilidade? Segundo a definição médica, um casal é considerado infértil quando não consegue engravidar após 12 meses de relações sexuais regulares e desprotegidas. Essa definição se aplica a casais em que a mulher tem menos de 35 anos. Para mulheres acima dessa idade, o prazo é reduzido para 6 meses, devido ao declínio natural da fertilidade com o avanço da idade.

É importante ressaltar que a infertilidade não é apenas uma questão física, mas também emocional e psicológica. Casais que anseiam por ter filhos e se deparam com essa dificuldade muitas vezes experimentam sentimentos de frustração, ansiedade e até mesmo culpa. A pressão social e familiar para ter filhos pode intensificar ainda mais esses sentimentos, gerando um grande impacto no relacionamento conjugal.

Além disso, a infertilidade pode trazer desafios práticos para o casal, como a necessidade de realizar exames e tratamentos médicos, que podem ser emocionalmente desgastantes e financeiramente onerosos. A jornada em busca da concepção pode se tornar uma verdadeira montanha-russa de esperanças e decepções a cada ciclo menstrual.

Diante desse cenário, é fundamental que a igreja esteja preparada para acolher e apoiar os casais que enfrentam a infertilidade. Mais do que nunca, eles precisam de compreensão, empatia e orientação espiritual para lidar com essa provação. É papel da comunidade cristã oferecer um ambiente seguro e acolhedor, onde esses casais possam compartilhar suas lutas e encontrar consolo nas promessas de Deus.

Auxílios pedagógicos para o professor

Dicas para ajudar o aluno se aprofundar:

  • Incentive os alunos a pesquisarem histórias de casais bíblicos que enfrentaram a infertilidade, como Sara e Abraão, Ana e Elcana, e reflitam sobre como eles lidaram com essa situação.
  • Promova um debate sobre como a igreja pode acolher e apoiar casais que enfrentam a infertilidade, destacando a importância da empatia e do cuidado pastoral.

Visão psicológica do assunto:

A infertilidade pode ter um impacto significativo na saúde mental dos casais, gerando sentimentos de ansiedade, depressão e baixa autoestima. É importante que os casais busquem apoio emocional e psicológico durante essa jornada, seja através de terapia ou de grupos de apoio.

Visão histórica do assunto:

Ao longo da história, a infertilidade foi muitas vezes vista como um estigma social e até mesmo como um castigo divino. No entanto, com o avanço da medicina e a mudança de paradigmas culturais, hoje a infertilidade é reconhecida como uma condição médica que afeta milhões de casais em todo o mundo.

Curiosidades:

  • Existem relatos de casais que, após adotarem uma criança, acabaram engravidando naturalmente. Isso pode estar relacionado à redução do estresse e da ansiedade após a adoção.
  • Alguns estudos sugerem que a prática regular de ioga e meditação pode melhorar a fertilidade, ao reduzir o estresse e equilibrar os hormônios.

Pesquisa ou estatística interessante:

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a infertilidade afeta cerca de 48,5 milhões de casais em todo o mundo. Desses, cerca de 40% dos casos são atribuídos a fatores femininos, 40% a fatores masculinos e 20% a uma combinação de ambos ou a causas desconhecidas.

Perguntas para discussão:

  1. Como a igreja pode ser um espaço de acolhimento e apoio para casais que enfrentam a infertilidade?
  2. De que maneira a fé pode ser uma fonte de consolo e esperança para casais que lidam com a dor da infertilidade?
  3. Como o conceito bíblico de casamento pode ajudar os casais a enfrentarem juntos o desafio da infertilidade, evitando a culpa e a acusação mútua?
  4. Quais são algumas formas práticas de demonstrar empatia e cuidado para com casais que passam pela experiência da infertilidade?

II – A Infertilidade à Luz das Escrituras

“Disse-lhe Raquel: Dá-me filhos, se não morro. Então, se acendeu a ira de Jacó contra Raquel e disse: Estou eu no lugar de Deus, que te impediu o fruto do ventre?” (Gênesis 30:1-2)

Ao nos debruçarmos sobre as Escrituras, percebemos que a infertilidade não é um tema alheio à narrativa bíblica. Na verdade, encontramos diversos relatos de casais que enfrentaram essa dificuldade, e através desses exemplos, podemos extrair lições valiosas para nossa compreensão atual.

Primeiramente, é importante destacar que a infertilidade não fazia parte do plano original de Deus para a humanidade. Desde a criação, Deus abençoou o homem e a mulher com o mandato de serem férteis e se multiplicarem (Gênesis 1:28). No entanto, após a queda, quando o pecado entrou no mundo, todas as esferas da vida humana foram afetadas, incluindo a capacidade reprodutiva.

Contudo, mesmo diante dessa realidade, a Bíblia nos apresenta casos de infertilidade temporária, onde Deus intervém de maneira sobrenatural. Sara, Rebeca, Raquel, a esposa de Manoá, Ana e Isabel são exemplos de mulheres que experimentaram a dor da infertilidade, mas que, pela graça e favor de Deus, tiveram seus ventres abertos e deram à luz a filhos prometidos.

Esses relatos nos ensinam que a concepção é um milagre divino, um presente de Deus. Não é algo que possamos controlar ou exigir, mas sim uma bênção que recebemos de acordo com a vontade soberana do Senhor. Como vemos na história de Raquel, nem mesmo a ira ou a insistência humana podem forçar a mão de Deus. É Ele quem detém o poder sobre a vida e a morte, sobre a fertilidade e a infertilidade.

Além disso, as Escrituras nos mostram que a infertilidade não é um castigo divino ou um sinal de falta de fé. Muitas vezes, Deus permite que passemos por essa provação para fortalecer nossa confiança nEle, para nos ensinar a depender de Sua graça e para cumprir propósitos maiores em nossas vidas. Como afirma o apóstolo Paulo, “sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28).

Portanto, à luz das Escrituras, podemos encontrar consolo e esperança diante da infertilidade. Embora seja uma experiência dolorosa e desafiadora, ela não define nossa identidade ou nosso valor aos olhos de Deus. Somos amados incondicionalmente por Ele, independentemente de nossa capacidade de gerar filhos biológicos.

Cabe a nós, como igreja, abraçar essa verdade e estender esse amor e apoio aos casais que enfrentam a infertilidade. Precisamos lembrá-los de que Deus está no controle, de que Ele tem um plano perfeito para suas vidas e de que Sua graça é suficiente em meio à fraqueza. Através da oração, do encorajamento e do cuidado prático, podemos ser instrumentos de Deus para levar cura, restauração e esperança a esses casais.

Auxílios pedagógicos para o professor

Dicas para ajudar o aluno se aprofundar:

  • Incentive os alunos a lerem e estudarem as histórias bíblicas de casais que enfrentaram a infertilidade, como Sara e Abraão, Raquel e Jacó, Ana e Elcana. Peça que eles reflitam sobre como esses personagens lidaram com a situação e o que podemos aprender com suas experiências.
  • Promova um estudo bíblico sobre a soberania de Deus em relação à concepção e à infertilidade, destacando passagens relevantes e encorajando os alunos a meditarem sobre o propósito de Deus em meio aos desafios.

Visão psicológica do assunto:

A infertilidade pode desencadear uma série de emoções negativas, como tristeza, ansiedade, culpa e baixa autoestima. É importante que os casais aprendam a lidar com esses sentimentos de maneira saudável, buscando apoio emocional na fé, na oração e na comunidade cristã.

Curiosidades:

  • No Antigo Testamento, a infertilidade era considerada uma grande provação, e as mulheres estéreis muitas vezes eram estigmatizadas socialmente. No entanto, Deus usou a infertilidade de mulheres como Sara, Raquel e Ana para cumprir Seus propósitos e demonstrar Seu poder.
  • Alguns teólogos acreditam que a experiência da infertilidade pode ser uma oportunidade para os casais crescerem em sua fé e dependerem mais da graça de Deus.

Pesquisa ou estatística interessante:

Um estudo realizado pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos, revelou que casais religiosos que enfrentam a infertilidade tendem a ter níveis mais baixos de estresse e depressão em comparação com casais não religiosos na mesma situação. Isso sugere que a fé pode ser um fator de resiliência emocional diante desse desafio.

Perguntas para discussão:

  1. Como a compreensão da soberania de Deus pode ajudar os casais a lidarem com a dor da infertilidade?
  2. De que maneira as histórias bíblicas de casais que enfrentaram a infertilidade podem nos ensinar sobre fé, perseverança e confiança em Deus?
  3. Como a igreja pode usar as Escrituras para consolar e encorajar casais que passam pela experiência da infertilidade?
  4. Qual é o papel da oração e da comunhão com Deus na jornada de um casal que enfrenta a infertilidade?

III – Implicação para o Casamento

“Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão os dois uma só carne.” (Efésios 5:31)

A infertilidade não é apenas uma questão médica, mas também um desafio emocional e relacional para os casais que anseiam por ter filhos. A angústia e o estresse decorrentes dessa condição podem ter um impacto significativo na dinâmica do casamento, testando a força e a resiliência do vínculo conjugal.

Quando um casal se depara com a infertilidade, é comum que sentimentos de frustração, tristeza e até mesmo culpa se façam presentes. A pressão social e familiar para ter filhos pode intensificar ainda mais esses sentimentos, criando um ambiente de tensão e desgaste emocional. Nesse contexto, é fundamental que o casal enfrente a infertilidade como uma equipe, unindo forças e apoiando-se mutuamente.

No entanto, nem sempre é fácil manter essa postura de união diante de uma situação tão desafiadora. É natural que, em momentos de dor e frustração, um cônjuge possa culpar o outro pela infertilidade, especialmente quando a causa é identificada em apenas um deles. Contudo, essa atitude de acusação e culpa é extremamente prejudicial para o relacionamento e vai contra o conceito bíblico de casamento.

Afinal, como nos lembra Efésios 5:31, no casamento, o homem e a mulher se tornam uma só carne. Isso significa que, diante de Deus, eles não são mais dois indivíduos separados, mas sim uma unidade indivisível. Portanto, a infertilidade não deve ser encarada como um problema individual, mas sim como um desafio compartilhado pelo casal.

Além disso, é importante lembrar que, no plano de Deus, é Ele quem permite ou não a gestação. A Bíblia nos mostra que a concepção é um milagre divino, um presente de Deus concedido de acordo com Sua vontade soberana. Portanto, culpar um ao outro pela infertilidade é, em última instância, questionar a sabedoria e o propósito de Deus para o casamento.

Diante dessa realidade, o casal cristão precisa se voltar para Deus em oração, buscando Sua direção, consolo e fortalecimento. É na presença do Senhor que eles encontrarão a graça necessária para perseverar, para perdoar um ao outro e para manter a esperança em meio à adversidade. Como afirma o salmista, “os que semeiam em lágrimas, com cânticos de júbilo segarão” (Salmo 126:5).

Além da oração, é fundamental que o casal busque apoio mútuo e comunicação aberta e honesta. Compartilhar os sentimentos, medos e expectativas pode ajudar a fortalecer o vínculo emocional e a criar um ambiente de compreensão e empatia. Também é importante que o casal esteja aberto a buscar ajuda profissional, seja através de aconselhamento conjugal ou de grupos de apoio para casais que enfrentam a infertilidade.

Auxílios pedagógicos para o professor

Dicas para ajudar o aluno se aprofundar:

  • Incentive os alunos a entrevistarem casais cristãos que enfrentaram a infertilidade, para que possam aprender com suas experiências e testemunhos de fé.
  • Promova um estudo bíblico sobre o propósito do casamento e como a infertilidade pode ser uma oportunidade para fortalecer a união e a intimidade do casal.

Visão psicológica do assunto:

A infertilidade pode gerar uma série de desafios emocionais para o casal, como sentimentos de inadequação, culpa e ressentimento. É importante que os cônjuges aprendam a se comunicar abertamente sobre suas emoções e busquem apoio mútuo e aconselhamento quando necessário.

Curiosidades:

  • Alguns casais que enfrentam a infertilidade encontram propósito e realização através da adoção ou do apadrinhamento de crianças necessitadas.
  • Existem retiros e workshops cristãos especialmente voltados para casais que lidam com a infertilidade, oferecendo suporte espiritual e emocional.

Pesquisa ou estatística interessante:

Um estudo publicado no Journal of Family Psychology revelou que casais que enfrentam a infertilidade e que têm uma forte base espiritual tendem a ter níveis mais altos de satisfação conjugal e resiliência emocional em comparação com casais que não têm uma vida de fé ativa.

Perguntas para discussão:

  1. Como o conceito bíblico de “uma só carne” pode ajudar os casais a enfrentarem juntos o desafio da infertilidade?
  2. De que maneira a oração e a busca da vontade de Deus podem fortalecer o relacionamento de um casal que enfrenta a infertilidade?
  3. Como a igreja pode oferecer suporte prático e emocional para casais que lidam com a infertilidade, demonstrando o amor e o cuidado de Cristo?
  4. Quais são algumas maneiras saudáveis de lidar com os sentimentos de frustração, tristeza e ansiedade que podem surgir em um casamento marcado pela infertilidade?

Conclusão

Casais que enfrentam a infertilidade precisam buscar consolo e direção em Deus. Ele compartilha do nosso sofrimento e usa as provações para fortalecer nossa fé e intimidade com Ele. Seja qual for a vontade de Deus – ter um filho biológico, adotar ou não ter filhos – o casal cristão deve aceitar com satisfação, confiando no plano divino para sua família, para que o nome do Senhor seja glorificado.

👉Gostou do nosso site? Ajude-nos a mantê-lo e melhorá-lo ainda mais!

👉Abençoe-nos com uma oferta via PIX: CPF 02385701421

👉Seja um parceiro desta obra e ajude a espalhar o conhecimento e a palavra de Deus. 

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos dará; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

SOBRE O AUTOR:
Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta