Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.548 outros assinantes

Estudo Bíblico da quinta feira. Tema: Resposta bíblica à depressão – Parte 01

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Resposta bíblica à depressão – Parte 01

Textos: I reis 19:1-18; Salmo 42:1-11;

“Por que estás abatida, ó minha alma ? Porque te perturbas dentro de mim ? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxilio e Deus meu”

Introdução

Uma certa mulher cristã de 31 anos, por causa da depressão, havia perdido o interesse em quase tudo: amigos, vida espiritual, noticiários, cuidado da casa, família. Até mesmo o trabalho do qual tanto gostava antes da segunda gravidez não a atraía mais. Ela não tinha ânimo para ir à igreja, encontrar os amigos, estar com o marido, ou mesmo procurar um médico.

Certamente, não existem duas pessoas que reajam à depressão da mesma maneira, pois ela abrange uma variedade de sintomas que diferem em gravidade, frequência, direção e origem. Entre os sinais da depressão encontram-se: tristeza profunda; dificuldade para ação e reação; fadiga geral; visão negativa de si mesmo; perda de espontaneidade; insônia e dificuldade de concentração; e perda de apetite.

Embora depressão seja um termo que não é discutido na Bíblia, certamente essa doença estava incluída nas “aflições” que Jesus anunciou que teríamos no mundo (Jo 16.33). Em outros textos, parece que Jó, Moisés, Jonas, Pedro e muitos outros personagens bíblicos sofreram depressão.

Esses exemplos, acompanhados de numerosas referências à dor da tristeza, dão uma amostra do realismo que caracteriza a Bíblia. O desespero realístico é colocado em contraste com a esperança. A Bíblia não enfatiza tanto o desespero humano, mas sim a fé em Deus e a certeza de que gozaremos uma vida abundante no céu, se não pudermos desfrutar dela aqui na terra (Mt 5.12; Rm 15.13).

Causas da depressão

Primeiramente precisamos desmitificar as causas da depressão. Não é verdade, por exemplo, que a depressão seja sempre resultante de um pecado pessoal ou falta de fé em Deus. Também não é verdade que toda depressão seja causada por autopiedade, ou que seja errado um cristão ter depressão, ou que os estados depressivos podem ser curados através de exercícios espirituais.

Os crentes, como todo mundo, estão expostos a essa doença (Sl 42.3-6, 11; 2Co 1.8), e a depressão pode ter causas variadas.

Causas físicas

Privação de sono, falta de exercícios físicos, efeitos colaterais de determinados medicamentos, doenças ou uma dieta imprópria. Daí a necessidade de cuidarmos bem do nosso corpo, mente e espírito (iCo 3.16).

Há evidência de tipos de depressão que acometem os membros de uma mesma família e podem ter origem genética. Isso é difícil de comprovar de forma conclusiva, e os relatórios das pesquisas são, às vezes, contraditórios. O fato é que não somente a depressão, mas também outros males na humanidade podem ser transmitidos de geração para geração; pois, assim como Adão, nós também continuamos a gerar filhos à nossa semelhança, conforme nossa imagem (Gn 5.3). Outras pesquisas encontram uma ligação entre a depressão e a química do cérebro, que pode ser curada por medicamentos antidepressivos.

Archibald Hart sugeriu que a depressão de Elias, logo após seu encontro com os profetas de Baal (iRs 19.1-18), foi provavelmente um exemplo de “depressão pós-adrenalina”, de causa fisiológica, que frequentemente acomete pessoas que experimentaram tensão emocional elevada recente.

Apesar de muitas pesquisas nessa área, os cientistas ainda não sabem se são os pensamentos depressivos que provocam alterações bioquímicas ou é um desequilíbrio químico no cérebro que provoca a depressão.

Causas psicológicas

Estatísticas assombrosas concluíram que fatores psicológicos, de desenvolvimento, interpessoais, espirituais e outras influências não físicas são a causa de muitos problemas depressivos.

Causas ligadas à própria vida e à família. Acontecimentos importantes passados na infância, ou em qualquer fase do desenvolvimento humano, ligados ao contexto familiar, podem levar à depressão, num momento próximo ao fato em si ou muito tempo depois (Jó 1.18-19;2.9 compare com Jó 3.23-26).

Estresse e perdas importantes. É bem conhecido que o estresse da vida pós-moderna estimula o surgimento da depressão, principalmente quando nos sentimos ameaçados ou quando somos afetados por perdas – na área financeira ou de entes queridos (Jó 1.18-19; 2.9 cf. 3.23-26).

Desespero diante da impotência. É frequente alguém ficar deprimido quando se sente impotente para resolver problemas que surgem, quando entende que não há nada que possa ser feito para aliviar seu sofrimento (jó 6.11-13).

Pensamentos negativos. Os pensamentos de uma pessoa, muitas vezes, determinam o modo como ela se sente (Pv 23.7; 27.19). De acordo com o psiquiatra Aaron Beck (Terapia Cognitiva), as pessoas deprimidas têm pensamentos negativos sobre o mundo e as experiências de vida, sobre si mesmas e sobre o futuro.

Ira não tratada. Um ponto de vista antigo e amplamente aceito sugere que a depressão aparece quando sentimentos de ira são guardados no coração e se voltam contra a própria pessoa. Deve ser por isso que somos exortados a não deixar a ira passar de um dia para o outro sem o devido tratamento (Ef 4.26).

Pecado e culpa. Quando uma pessoa percebe que pecou, ela se sente culpada. Se ela não tratar o pecado e a culpa adequadamente, isso pode desencadear um processo de depressão. O tratamento adequado é o arrependimento. Com base em Romanos 4.25, podemos dizer que “Jesus morreu por causa dos nossos pecados, e ressuscitou para limpar as nossas culpas”. Mas quando a pessoa já está deprimida, ela precisa que alguém lhe diga isso. E aqui que entram os psiquiatras, psicoterapeutas e conselheiros cristãos.

Conclusão

Muitos são os fatores que levam uma pessoa à depressão, uma doença que pode atingir qualquer ser humano, independente da sua posição social, credo, raça ou cor. A Bíblia nos mostra que os gigantes da fé também ficaram deprimidos, a exemplo de Jeremias, Elias, Jó, Jonas, Paulo e o próprio Jesus. Portanto, cristãos também podem ser atingidos por essa doença. Elias sentiu-se profundamente deprimido, mesmo depois de uma vitória sobre os profetas de Baal. Por causa do desgaste emocional durante a batalha, ele se deprimiu diante de uma simples ameaça de Jezabel. Ele se sentiu tão angustiado que chegou a pedir a morte para si mesmo, ou seja, chegou ao fundo do poço.

Mas o Senhor tinha um plano restaurador para a vida de Elias, ou seja, proporcionou-lhe um tratamento completo para o seu corpo, alma e espírito. Conforme a passagem do primeiro livro de Reis, vemos que Deus contempla o ser humano com a cura da depressão, integralmente. Ele cuidou de alimentar o profeta Elias, deu descanso para sua alma e confortou-o espiritualmente.

Uma das formas de se prevenir a depressão é não deixar que coisas ruins se acumulem em nosso coração. Não podemos guardar mágoas, mas rasgar nosso coração diante de Deus.

Na próxima semana continuaremos nosso estudo.

Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta