Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.544 outros assinantes

Série: O evangelho da graça em ação – Aprendendo com o apóstolo Paulo na Carta de Filemon – Semana 1 – O evangelho da graça em ação – Aprendendo com o apóstolo Paulo na Carta de Filemon – Introdução ao livro de Filemom

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Série: O evangelho da graça em ação – Aprendendo com o apóstolo Paulo na Carta de Filemon – Semana 1 – O evangelho da graça em ação – Aprendendo com o apóstolo Paulo na Carta de Filemon – Introdução ao livro de Filemom

Texto Bíblico Base: Filemon 1:10-11 (NVI) “Eu te rogo por meu filho Onésimo, que gerei entre algemas durante o meu aprisionamento. Antes, ele lhe era inútil; agora, porém, tanto a você como a mim é muito útil.”

Introdução

A carta a Filemom, embora curta, contém preciosas lições sobre o evangelho da graça em ação. Escrita pelo apóstolo Paulo, ela aborda a complexa relação entre um senhor cristão, Filemom, e seu escravo fugitivo, Onésimo.

Por meio de sábia intercessão, Paulo insta Filemom a receber Onésimo de volta, não mais como escravo, e sim como irmão amado em Cristo. Ao analisarmos esta carta, somos desafiados a incorporar os mesmos princípios de amor, perdão e reconciliação em nossos relacionamentos.

Neste estudo, veremos como o evangelho dissolve barreiras, provê nova identidade e tem poder para transformar vidas. Encontraremos ricas lições sobre resolver conflitos, promover união e viver sob a graça libertadora de Deus.

Que o Espírito Santo nos guie nesta jornada para compreendermos mais profundamente o coração do evangelho. E que Ele faça desta mensagem um instrumento de transformação em nossos corações e relacionamentos. Estamos diante de uma joia que brilha com a graça redentora de Cristo!

Seção 1: O Contexto Histórico e o Autor da Carta de Filemon

A carta de Filemon foi escrita em aproximadamente 60-62 d.C. durante o primeiro encarceramento de Paulo em Roma. O apóstolo Paulo estava preso aguardando julgamento diante do imperador romano.

O livro é dirigido a Filemom, um cristão convertido por Paulo, que vivia em Colossos e era dono de escravos. Um de seus escravos, Onésimo, havia fugido e acabou encontrando Paulo em Roma. Lá, Onésimo se converteu ao cristianismo por meio do ministério de Paulo.

Ao escrever esta carta, Paulo intercede a Filemom em favor de Onésimo, pedindo que o receba de volta não mais como escravo, mas como irmão em Cristo. Paulo apela à nova identidade cristã de ambos para promover reconciliação e restauração.

O contexto histórico revela as complexas relações sociais da época, quando a escravidão ainda era uma instituição dominante no império romano. A carta ilumina princípios do evangelho relevantes para essa estrutura social injusta.

A autoria paulina é praticamente incontestável entre os estudiosos, dado o testemunho unânime da tradição cristã primitiva e as marcas distintivas do estilo literário de Paulo. Isso reforça o valor da carta como Escritura inspirada e sua autoridade apostólica. A perspectiva de Paulo é singular por ter vivido nos dois lados da relação: como cidadão romano e também como prisioneiro por Cristo.

Seção 2: Transformação Pela Graça: Perdão e Reconciliação (Filemon 8-19)

Nesta seção, vemos o coração da mensagem transformadora da carta. Paulo intercede delicadamente a Filemom, apelando para que receba Onésimo de volta, não mais como escravo, mas como irmão amado em Cristo.

A graça divina havia mudado a vida de Onésimo, antes um escravo fugitivo, agora convertido pelo evangelho. Paulo reconhece a mão providencial de Deus guiando os eventos (v.15). Portanto, pede a Filemom que acolha Onésimo com o mesmo amor com que receberia o próprio Paulo (v.17).

Paulo está disposto até mesmo a assumir pessoalmente a dívida e as consequências das ações passadas de Onésimo. Essa oferta generosa reflete o próprio sacrifício de Cristo, que assumiu nossas dívidas no calvário (v.18).

O caminho para a reconciliação requer o exercício do perdão. Da mesma forma que Cristo nos perdoou, somos chamados a perdoar aqueles que nos ofendem. O evangelho tem poder para transformar relacionamentos e curar feridas profundas por meio do perdão.

A intercessão de Paulo é um modelo de como interceder por outros com sabedoria, verdade e amor. Sua disposição de se sacrificar é um testemunho vivo do amor de Cristo. A carta inteira respira a graça transformadora de Deus.

Seção 3: Nova Identidade em Cristo: União e Liberdade (Filemon 20-22)

Nestes versículos, Paulo destaca como o evangelho dissolve as barreiras que antes separavam Filemom e Onésimo. Apesar das diferenças de status social, agora ambos são irmãos em Cristo, igualmente amados e aceitos por Deus.

Em Cristo, encontramos nossa verdadeira identidade como filhos e filhas de Deus, não baseada em posição social, raça ou gênero. Essa nova identidade em Cristo redefine todos os nossos relacionamentos.

Ao receber Onésimo como irmão, Filemom estaria vivenciando na prática as implicações transformadoras do evangelho. As diferenças sociais que antes dividiam senhor e escravo agora são transcendidas pela graça de Deus.

Quando compreendermos nossa união com Cristo e sua graça salvadora, somos libertos para nos relacionar com outros de modo novo. As barreiras que construímos são derrubadas. Experimentamos verdadeira comunhão e somos transformados à imagem de Jesus.

A história de Filemom e Onésimo ilustra vividamente como o evangelho tem poder para unir e reconciliar vidas em qualquer contexto social. Em Cristo, somos uma nova criação e toda a criação é renovada.

Conclusão

A carta de Filemom brilhantemente ilustra o evangelho da graça em ação, trazendo mensagem transformadora tanto para seu contexto histórico quanto para nós hoje. A partir de nosso estudo, destaco três aplicações:

  1. Somos chamados a demonstrar o mesmo amor, perdão e espírito de reconciliação que vemos nesta carta. Em nossos relacionamentos, devemos estar dispostos a interceder e nos sacrificar pelos outros, seguindo o modelo de Cristo.
  2. Nossa identidade em Cristo deve conduzir a relacionamentos novos, baseados não em diferenças externas, mas na comunhão que compartilhamos como irmãos e irmãs. Em Cristo, as barreiras são quebradas.
  3. A graça de Deus tem poder para operar transformação. Quando vivermos sob a graça e não sob a lei, nossos corações são libertos para amar e nosso caráter é moldado à imagem de Cristo.

Que o exemplo desta carta nos incentive a ser canais da graça divina em nossos contextos, promovendo reconciliação e testemunhando o amor redentor de Cristo.  Até a próxima semana. 

Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

Livre

Capacitação em Como preparar e transmitir mensagens bíblicas – Gratuito

Livre

Capacitação em Bibliologia – Como a Bíblia chegou até nós – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta