Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.546 outros assinantes

Sermão: As armadilhas de Satanás

QUER RECEBER ARTIGOS INFORMATIVOS, ESTUDOS BÍBLICOS, REFLEXÕES, SERMÕES E CURSOS GRATUITOS TODA SEMANA EM SEU WHATSAP?

Entre no grupo do Professor Josias Moura agora e receba todos estes recursos gratuitamente.

Armadilhas de Satanás

“para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não ignoramos quais são as intenções dele” (2 Coríntios 2.11).

Introdução: 

Neste versículo, Paulo explica o motivo pelo qual ele perdoou o irmão que havia causado tristeza na igreja de Corinto. Ele não queria que a falta de perdão abrisse uma brecha para que Satanás atuasse na vida dos cristãos e na comunhão da igreja. Ele sabia que o diabo é um adversário astuto e maligno, que procura aproveitar-se das fraquezas e dos conflitos dos filhos de Deus para destruí-los.

Paulo não ignorava os desígnios de Satanás, ou seja, os seus planos, as suas estratégias, as suas armadilhas. Ele conhecia bem o inimigo e as suas obras. Ele sabia que Satanás é o pai da mentira, o acusador dos irmãos, o tentador, o enganador, o opressor, o devorador. Ele sabia que Satanás quer roubar, matar e destruir tudo o que Deus criou e amou.

Nós também não devemos ignorar os desígnios de Satanás. Não devemos subestimar o seu poder, nem superestimar a sua força. Não devemos brincar com o pecado, nem dar lugar ao diabo. Não devemos ser ignorantes das suas ciladas, nem cair nas suas seduções. Não devemos ser presas fáceis para ele, nem resistir à sua ação.

Devemos lembrar que vivemos em um mundo que jaz no maligno (1 João 5.19). O inimigo de nossas almas está em constante guerra contra nós, tentando nos afastar de Deus e de Sua vontade. Ele usa de toda a sorte de enganos, mentiras e seduções para nos fazer cair em suas armadilhas. Ele se disfarça como um anjo de luz (2 Coríntios 11.14), fingindo ser bom e benéfico, mas na verdade é mau e destrutivo. Ele quer nos roubar, matar e destruir (João 10.10).

Como cristãos, precisamos estar atentos e vigilantes aos seus ardis e resistir-lhe firmes na fé (1 Pedro 5.8-9). Precisamos conhecer as suas estratégias e evitar as suas ciladas. Precisamos nos revestir de toda a armadura de Deus para podermos permanecer firmes contra as ciladas do diabo (Efésios 6.11). Precisamos nos manter acesos na fé e no amor, que são os principais alvos do inimigo. Precisamos nos manter unidos como igreja, que é o corpo de Cristo, pois a união faz a força.

Nesta reflexão, vamos ver algumas das principais armadilhas que o inimigo usa para tentar nos enfraquecer e nos desviar do propósito de Deus para nossas vidas. Vamos ver como podemos identificá-las e como podemos evitá-las. Vamos ver também como podemos nos fortalecer na graça e no conhecimento de Deus e como podemos nos ajudar uns aos outros como família de Deus.

Quais são as armadilhas de Satanás?

Vamos refletir sobre algumas armadilhas que o inimigo arma contra os cristãos para surpreendê-los e derrubá-los:

1ª armadilha: Tirar a alegria 

Uma das características mais marcantes do cristão é a alegria. A alegria é um fruto do Espírito Santo que habita em nós e que nos dá satisfação, contentamento e gratidão em todas as circunstâncias. A alegria é diferente da felicidade, que depende das circunstâncias externas e que é passageira. A alegria é baseada na certeza de que Deus nos ama, nos salva, nos sustenta e nos conduz. 

A alegria é uma fonte de força para nós, pois nos ajuda a enfrentar as dificuldades e os desafios com fé e esperança. Como diz Neemias 8.10: “Não se entristeçam, porque a alegria do Senhor os fortalecerá”.

Mas o inimigo não quer que vivamos em alegria. Ele sabe que a alegria é uma arma poderosa contra ele e que nos mantém firmes e fiéis ao Senhor. 

Por isso, ele tenta tirar a nossa alegria de várias formas. Ele pode usar pessoas, situações ou pensamentos para nos entristecer, nos desanimar, nos frustrar ou nos amargurar. Ele pode lançar dardos inflamados de dúvida, medo, culpa, inveja, ira ou amargura para nos fazer perder a comunhão com Deus e com os irmãos. Ele pode semear contendas, fofocas, calúnias ou ofensas para nos fazer perder a unidade e o amor.

Como podemos evitar essa armadilha? Como podemos manter a nossa alegria em meio aos ataques do inimigo?

Precisamos estar atentos e vigilantes aos seus ardis e resistir-lhe firmes na fé. Precisamos reconhecer os nossos pontos fracos e pedir a Deus que nos cure e nos fortaleça. Precisamos buscar a Deus em oração e em Sua Palavra e deixar que Ele nos encha de Sua alegria. Precisamos perdoar os que nos ofendem e buscar a reconciliação com os que nos magoam. Precisamos cultivar o amor, a bondade, a mansidão e a humildade em nossos relacionamentos. Precisamos seguir o exemplo de Jesus, que por causa da alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz (Hebreus 12.2).

Não deixe que o inimigo tire a sua alegria. Lembre-se do que Jesus disse em João 15.11: “Tenho lhes dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa.” 

A alegria de Deus é um presente precioso que Ele nos dá e que ninguém pode nos tirar. Que possamos viver em alegria com Deus, conosco mesmos e com os outros. Que possamos ser testemunhas da Sua graça e do Seu amor.

2ª armadilha: Tirar a paz 

Uma das armas mais poderosas que Deus nos deu é a paz. A paz é um fruto do Espírito Santo que habita em nós e que nos dá tranquilidade, confiança e segurança em meio às lutas e tribulações. 

A paz de Deus é capaz de guardar o nosso coração e a nossa mente em Cristo Jesus, conforme diz Filipenses 4.6: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.”

Não deixe que o inimigo tire a sua paz. Lembre-se do que Jesus disse em João 14.27: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo.” 

Há muitas coisas que podem levar uma pessoa a perder sua paz. Algumas delas incluem:

  • Preocupações excessivas: Quando uma pessoa se preocupa demais com as coisas, ela pode se sentir ansiosa e perder a paz.
  • Medo: O medo pode ser uma causa significativa de perda de paz. Quando uma pessoa tem medo do futuro ou de coisas fora do seu controle, pode ser difícil para ela encontrar paz.
  • Culpa: Quando uma pessoa se sente culpada por algo que fez ou não fez, pode ser difícil para ela encontrar paz.
  • Estresse: O estresse pode causar muita ansiedade e preocupação, e pode fazer com que uma pessoa perca sua paz.
  • Relacionamentos problemáticos: Quando os relacionamentos com outras pessoas são difíceis ou tensos, pode ser difícil para uma pessoa encontrar paz.
  • Doenças ou problemas de saúde: Problemas de saúde podem ser uma fonte de estresse e preocupação, o que pode fazer com que uma pessoa perca sua paz.
  • Falta de propósito ou significado: Quando uma pessoa não tem um senso de propósito ou significado em sua vida, pode ser difícil para ela encontrar paz e contentamento.

É importante lembrar que, independentemente da causa da perda de paz, é possível encontrar paz novamente. A paz que vem de Deus é duradoura e independe das circunstâncias externas. Podemos encontrar paz em Jesus Cristo, colocando nossa confiança nEle e entregando nossas preocupações e medos a Ele em oração.

3ª armadilha: Abalar a fé

Uma das virtudes mais importantes que Deus nos deu é a fé. 

A fé é a certeza das coisas que esperamos e a prova das coisas que não vemos (Hebreus 11.1). A fé é o que nos liga a Deus e nos faz confiar em Suas promessas. A fé é o que nos faz viver como filhos de Deus e herdeiros da Sua glória. A fé é o que nos faz vencer o mundo (1 João 5.4).

Quando um cristão está com a fé abalada, ele pode experimentar muitos sentimentos diferentes. Alguns desses sentimentos podem incluir:

  • Dúvida: O cristão pode começar a duvidar de suas crenças e questionar sua fé.
  • Angústia: O cristão pode sentir uma angústia profunda sobre a sua fé e sua relação com Deus.
  • Confusão: O cristão pode ficar confuso sobre o que acredita e sobre como deve agir como cristão.
  • Culpa: O cristão pode se sentir culpado por sua falta de fé e por não conseguir acreditar em Deus como antes.
  • Isolamento: O cristão pode se sentir isolado dos outros cristãos e de Deus, o que pode levar a uma sensação de solidão.
  • Perda de propósito: O cristão pode se sentir desorientado e sem rumo, sem um senso de propósito ou significado.

No entanto, é importante lembrar que ter dúvidas e questionar a fé é uma parte normal do processo de crescimento espiritual. A fé é uma jornada, e pode haver momentos em que as coisas parecem incertas. É possível crescer e fortalecer a fé, mesmo quando ela está abalada.

Não deixe que situações vidas ou o inimigo abale a sua fé. Lembre-se do que Paulo disse em 2 Timóteo 1.12: “Por essa razão, sofro estas coisas; todavia, não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia.” A fé em Deus é um tesouro precioso que Ele nos dá e que ninguém pode nos tirar. Que possamos viver pela fé em Deus, conosco mesmos e com os outros. Que possamos ser fiéis até o fim.

4ª armadilha: Esfriar o amor 

A maior de todas as virtudes que Deus nos deu é o amor. O amor é a essência de Deus e o fundamento de Sua obra. Deus nos amou de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito para morrer por nós e nos salvar (João 3.16). Deus nos ama com um amor eterno e incondicional, que não depende do que fazemos ou deixamos de fazer. Deus nos ama com um amor que nos transforma, nos santifica, nos capacita e nos abençoa. Deus nos ama com um amor que nos faz amá-lo também, com todo o nosso ser, e amar ao próximo como a nós mesmos (Mateus 22.37-39).

Há muitos fatores que podem contribuir para o esfriamento do amor por Deus em uma pessoa. Alguns deles incluem:

  • Falta de intimidade com Deus: Quando uma pessoa não se dedica a ter um relacionamento íntimo com Deus, sua paixão e amor por Ele podem começar a esfriar.
  • Distrações do mundo: A vida pode ser agitada e cheia de distrações, e essas distrações podem desviar o foco do amor por Deus.
  • Traumas ou dificuldades: Traumas, perdas ou outras dificuldades podem abalar a fé de uma pessoa e fazê-la questionar o amor de Deus.
  • Influência de outras pessoas: As pessoas ao nosso redor podem influenciar nossas crenças e valores. Quando estamos cercados por pessoas que não têm amor por Deus, podemos começar a adotar essa perspectiva.
  • Desapontamentos com a igreja ou outros cristãos: Quando as pessoas ficam desapontadas com a igreja ou com outros cristãos, pode ser difícil manter o amor por Deus.
  • Pecado não confessado: O pecado não confessado pode criar uma barreira entre uma pessoa e Deus, fazendo com que seu amor por Ele esfrie.
  • Falta de compromisso: Quando uma pessoa não está comprometida em seguir a vontade de Deus, seu amor por Ele pode começar a esfriar.

É importante lembrar que, independentemente da causa do esfriamento do amor por Deus, é possível reacender esse amor. A oração, a leitura da Bíblia, a participação em uma comunidade de fé e a busca por um relacionamento íntimo com Deus podem ajudar a fortalecer e renovar o amor por Ele. 

Não deixe que o inimigo esfrie o seu amor. Lembre-se do que Jesus disse em Apocalipse 2.4-5: “Tenho, porém, contra você o fato de ter abandonado seu primeiro amor. Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio.” O amor de Deus é um fogo que arde em nossos corações e que ninguém pode apagar. Que possamos viver pelo amor de Deus, conosco mesmos e com os outros. Que possamos ser testemunhas da Sua graça e do Seu poder.

CONCLUSÃO 

Amados irmãos e irmãs, que o Senhor nos abençoe e nos guarde de todo o mal. Que o Senhor nos dê sabedoria e discernimento para não cairmos nas armadilhas do inimigo. Que o Senhor nos dê coragem e fé para vencermos as tentações e as provações. Que o Senhor nos dê amor e unidade para edificarmos uns aos outros em Cristo.

Não podemos ignorar nem subestimar as armadilhas do inimigo, pois elas são reais e perigosas. Elas podem nos fazer perder a alegria, a paz, a fé e o amor que Deus nos deu. Elas podem nos fazer desviar do propósito de Deus para nossas vidas. Elas podem nos fazer cair em pecado e em condenação.

Mas também não precisamos viver com medo ou paranoia, pois temos um Deus maior e mais poderoso do que o inimigo. Temos um Deus que nos ama e que nos protege. Temos um Deus que nos capacita e que nos sustenta. Temos um Deus que nos dá as armas para resistirmos ao diabo e fazê-lo fugir de nós (Tiago 4.7).

Mas para isso, precisamos estar vigilantes e preparados. Precisamos estar atentos aos sinais de alerta que indicam que estamos sendo alvos das armadilhas do inimigo. Precisamos buscar constantemente fortalecer nossa alegria, paz, fé e amor, que são os principais alvos do inimigo. E para isso, precisamos manter uma vida de oração, leitura e estudo da Palavra de Deus, comunhão com outros cristãos e prática das virtudes cristãs.

Que possamos estar sempre alertas e vigilantes, confiando na proteção e graça de Deus, para vencermos todas as armadilhas de Satanás e prosseguirmos firmes em nossa caminhada rumo à salvação. Amém.

Josias Moura de Menezes

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta