Assine nosso site

Receba nossas publicações em seu email.

Junte-se a 8.543 outros assinantes

Sermão: As bênçãos da justificação para o cristão

As bênçãos da justificação para o cristão

Texto base: Romanos 5:1-5

Introdução

Irmãos e irmãs em Cristo, é com alegria que faremos hoje uma reflexão na extraordinária carta do apóstolo Paulo aos cristãos em Roma. Esta epístola tem um significado único tanto para os destinatários originais quanto para nós hoje.

Romanos é considerado por muitos o mais importante escrito de Paulo e mesmo de toda a Bíblia. Isso porque expõe de forma completa e profunda o evangelho da salvação pela fé em Jesus Cristo.

Para os cristãos da época, essa carta foi de grande encorajamento e edificação, confirmando as verdades centrais da fé que estavam aprendendo. Para nós hoje, séculos depois, Romanos continua sendo uma fonte inesgotável de riquezas espirituais.

Ao meditarmos nessa epístola, somos instruídos e fortalecidos em doutrinas como a justificação pela fé, a santificação, a eleição divina, a soberania de Deus e tantas outras. Compreendemos melhor o plano glorioso da salvação e os privilégios que temos em Cristo. Por isso, dedicar-nos-emos com afinco ao estudo deste livro extraordinário nos próximos dias. Tenho certeza de que, se o fizermos com corações abertos, alcançaremos bênçãos valiosíssimas para a nossa caminhada cristã.

Que o Espírito Santo nos guie para entendermos e vivermos as verdades aqui reveladas, para glória Dele e bem da Igreja.

As bênçãos da justificação

1. Paz com Deus (v. 1)

O apóstolo Paulo nos fala em Romanos 5:1 sobre a paz quando diz:  “sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo”v.1.

Mas o que significa ser justificado pela fé? Justificação é um termo legal, que significa ser declarado justo diante de Deus. Isso só é possível pela fé em Cristo, não por nossas próprias obras ou méritos. A Bíblia diz em Efésios 2:8-9 que “pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. 

Quando cremos em Cristo e sua obra salvífica, nossos pecados são perdoados e somos liberados da condenação. Passamos da morte para a vida, do pecado para a justiça. E o resultado disso é que temos paz com Deus. Essa paz só é possível por meio de Cristo. Jesus disse em João 14:27: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá”. Ele é o nosso mediador e reconciliador com Deus. “Havendo ele feito a paz pelo sangue da sua cruz” (Cl 1:20).

Ilustração sobre a paz.

Era uma vez um rei que encomendou a dois famosos pintores que fizessem, cada um, um quadro sobre o tema da paz. Além de garantir que compraria as duas obras, o rei anunciou que daria uma recompensa extra para o artista que melhor captasse a essência da paz.

No prazo determinado, os pintores trouxeram suas obras.

O primeiro quadro mostrava um lago tranquilo e sereno, refletindo altas e pacíficas montanhas ao seu redor, sob um céu azul com nuvens brancas. Todos que viram a pintura concordaram que ela retratava perfeitamente a paz.

Já a segunda tela também exibia montanhas, porém íngremes e áridas. O céu estava carregado, derramando chuva e raios. Da encosta da montanha despencava uma cachoeira caudalosa. Não parecia nada pacífico. Contudo, o rei, experiente em arte, observou calmamente a pintura e viu que, ao lado da cachoeira, havia um pequeno ninho numa fresta da rocha. Dentro do ninho estavam uma mãe pássaro e seu filhote, repousando protegidos.

O soberano escolheu a segunda obra. Sabe por quê? Porque paz – explicou o rei – não significa estar num lugar onde não existem barulho ou problemas. Paz é um estado de espírito. É a capacidade de permanecer sereno mesmo no meio das turbulências.

Jesus retrata essa paz ao dizer:  “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá.” (João 14:27)

Após expormos conceitos importantes sobre a paz, quero sugerir algumas atitudes práticas para termos a cada dia, nossa paz com Deus e com nossos irmãos, renovada:

  • Busque um relacionamento constante com Deus por meio da oração e meditação na Palavra.
  • Cultive uma consciência de gratidão, reconhecendo as bênçãos de Deus em sua vida.
  • Pratique o perdão, tanto perdoando os outros como buscando o perdão de Deus.
  • Evite entrar em discussões desnecessárias e busque resolver conflitos de maneira pacífica.
  • Pratique o autocontrole e evite reagir impulsivamente diante de situações estressantes.
  • Desenvolva relacionamentos saudáveis e nutra o amor e respeito pelos outros.
  • Coloque sua confiança em Deus e descanse na certeza de que Ele está no controle.

Portanto, irmãos, gloriemo-nos nessa paz que ultrapassa todo o entendimento, fruto da graça de Deus em Cristo Jesus. Andemos dignos dessa maravilhosa dádiva divina.

2. Acesso à graça (v. 2)

Irmãos, além da paz com Deus, outro privilégio que temos pela justificação é o acesso à Sua graça, conforme Paulo declara em Romanos 5:2 – “por meio de quem também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes”.

A graça é o favor imerecido de Deus. Não ganhamos a graça por boas obras ou méritos próprios. Somos salvos pela graça mediante a fé, como está escrito em Efésios 2:8-9 – “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”.

Essa graça na qual firmamos os pés nos dá acesso aos mais sublimes privilégios: sermos chamados filhos de Deus, estar em comunhão com o Pai, ter as nossas orações ouvidas, receber proteção e provisão divinas. Além disso, a graça de Deus em Cristo Jesus nos dá a esperança certa da glória futura. Como declara Romanos 5:2, temos o acesso a esta graça “na qual estamos firmes e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus”. A salvação que hoje desfrutamos por graça será consumada na glória eterna.

Vamos fazer algumas aplicações sobre a graça de Deus para nós: 

  • Traga a graça para o seu relacionamento com você mesmo, perdoando-se pelas falhas passadas e libertando-se da culpa e autocrítica excessivas.
  • Exercite a graça em suas interações com os outros, demonstrando compaixão, perdão e bondade mesmo quando se sente provocado ou injustiçado.
  • Reconheça a grandeza e a abundância da graça de Deus em cada momento de sua vida, lembrando-se de Sua provisão e bondade em meio às dificuldades.
  • Mantenha-se consciente das suas limitações e fragilidades, entendendo que a graça de Deus basta para suprir qualquer insuficiência que possa sentir.
  • Resista à tendência de confiar apenas em suas próprias realizações ou méritos, lembrando-se de que é através da graça divina que você é aceito e amado.
  • Busque alimentar sua conexão com Deus através da oração, meditação e busca da Sua orientação, reconhecendo a necessidade contínua de Sua graça em sua vida.
  • Compartilhe do amor e da generosidade de Deus, investindo em atos de serviço e ajudando a disseminar a graça divina aos outros ao seu redor.

Portanto, irmãos, louvemos a Deus pelo dom inefável de Sua graça. E, firmes nessa graça, prossigamos com esperança e alegria até alcançarmos a glória celeste.

3. Gloriar-se em meio às tribulações (v. 3-4)

Irmãos, além da paz com Deus e do acesso à Sua graça, outra bênção da justificação é poder gloriar-se em Deus mesmo em meio às tribulações.

Paulo declara em Romanos 5:3-4: “E não somente isso, mas também nos gloriemos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança o caráter, e o caráter a esperança”.

As tribulações são inevitáveis nesta vida pecaminosa. Porém, para o cristão, elas não são em vão. As dificuldades produzem em nós perseverança, um caráter firme e amadurecido, além de uma esperança inabalável em Deus.

Assim, podemos gloriar-nos não nas tribulações em si, mas no Deus que as permite para nosso bem e que nos sustenta em meio a elas. “Bem-aventurado o varão que suporta a tentação, porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam” (Tiago 1:12).

Na bíblia temos muitos exemplos de pessoas que se gloriaram nas tribulações:

  • Jó perdeu tudo que tinha, inclusive os filhos, e depois foi acometido por terríveis enfermidades. No meio de tanto sofrimento, ele disse: “O Senhor o deu, e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1:21). Jó se gloriou em Deus apesar de sua tribulação.
  • José foi injustamente vendido como escravo e depois injustiçado, preso no Egito. Mesmo assim, ele confiou em Deus, que usou aquelas tribulações para livrar Israel da fome e colocar José em posição de autoridade (Gn 45:5-8).
  • Davi sofreu perseguição e teve que fugir muitas vezes do rei Saul. Mesmo assim, ele escreveu diversos salmos glorificando a Deus como seu refúgio e salvador (Sl 18, 27, 31, 34 e outros).
  • Paulo e Silas, presos e açoitados em Filipos, oravam e cantavam hinos no meio da noite na prisão (At 16:25). Eles se gloriavam em Deus apesar da tribulação.

Assim como esses e muitos outros personagens bíblicos, podemos gloriar-nos em Deus e confiar nEle em meio às dificuldades. Portanto, irmãos, não desanimemos diante das tribulações. Antes, gloriemo-nos em nosso Deus fiel, que usarão até mesmo as dificuldades para nos tornar mais semelhantes a Cristo. Sigamos adiante com esperança e alegria na promessa gloriosa do Senhor.

4. Experimentar o amor de Deus (v. 5)

Irmãos, a última bênção da justificação que destaco é poder experimentar o amor de Deus derramado em nossos corações, como declara Romanos 5:5: “Ora, a esperança não confunde, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado”.

Quando cremos em Cristo, recebemos o Espírito Santo, que nos aplica toda a obra da salvação. E Ele derrama o amor de Deus – um amor perfeito, puro, sacrificial – dentro de nós, para que possamos amar como Deus amou.

Esse amor de Deus vai transbordar de nossos corações para as pessoas ao nosso redor, à medida que andarmos no Espírito e seguirmos o exemplo de Cristo de servir e dar a vida pelos outros. Deus quer nos usar como canais para comunicar Seu amor a este mundo sofrido. E tudo começa quando experimentamos esse amor de forma pessoal e íntima em nossos corações.

Há algo importante a dizer sobre o amor Deus:

Quando o amor de Deus inunda nossos corações pelo Espírito Santo, ele elimina toda barreira, todo impedimento que antes nos segurava de servir plenamente a Deus.

Quando amamos pouco, nossa vontade própria e nossos interesses egoístas atrapalham nossa caminhada de fé. Tememos o sacrifício, o desprendimento, a entrega total. Mas quando experimentamos o amor de Cristo em sua profundidade, em sua intensidade avassaladora, esse amor queima toda impureza dentro de nós.

Já não perguntamos “o que devo fazer?”, mas “a quem devo amar e servir?” Já não tememos o preço do discipulado, porque o amor de Cristo nos compele e motiva.

Então, todo idolo é derrubado, toda barreira removida, todo obstáculo se desfaz. E corremos alegremente ao encontro da vontade de Deus, pois o Seu amor transborda em nosso interior.

Que o Espírito Santo reavive o amor de Deus em nós. E que esse amor intenso remova todo impedimento para servirmos ao Senhor de todo o coração!

Conclusão

Irmãos, vimos hoje as preciosas bênçãos que advêm da justificação pela fé em Cristo Jesus.

A justificação é o coração do evangelho, pois ela nos declara justos diante de Deus, mediante a obra de Cristo. Sem essa doutrina fundamental, não há salvação nem vida cristã verdadeira. Por isso, somos profundamente gratos ao Senhor por essas magníficas bênçãos: a paz com Deus, o acesso à Sua graça, a capacidade de nos gloriar nEle em todas as circunstâncias e o privilégio de experimentar o Seu amor derramado em nossos corações.

Que maravilhas o Senhor operou por nós em Cristo! Que preciosos dons para desfrutar e compartilhar! Vamos, pois, viver cada dia mais profundamente essas verdades, para a glória Dele e o bem do próximo.

E se alguém ainda não conhece essa paz, essa graça e esse amor, minha prece é que hoje mesmo você se volte para Cristo e receba a justificação que só Ele pode conceder. Não deixe para amanhã, pois esse é o dia da salvação! Creia e seja salvo, para viver as abundantes bênçãos do nosso Deus.

Que o Senhor abençoe ricamente a todos, amém!

Adquira uma de nossas bibliotecas digitais

É formado em Teologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. É especialista em Marketing Digital, Produção Audiovisual para Web, Tecnologias de Aprendizagem a Distância, Inteligência Artificial, Jornalismo Digital e possui Mestrado em Teologia. Atua ministrando cursos de capacitação profissional e treinamentos online em diversas áreas. Para mais informações sobre o autor <clique aqui>.

Compartilhe esta mensagem

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Print
Email

FAÇA NOSSOS CURSOS DE CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA GRATUITOS

Livre

Capacitação em Gestão do Tempo, Planejamento Pessoal e Produtividade – Gratuito

Livre

Capacitação em Como preparar e transmitir mensagens bíblicas – Gratuito

Livre

Capacitação em Bibliologia – Como a Bíblia chegou até nós – Gratuito

ADQUIRA NOSSAS BIBLIOTECAS DIGITAIS

Show Comments (0)

Deixe uma resposta